Gramática Online: Estrutura das Palavras (Parte 3) - desinência verbal, vogais e consoantes de ligação



Seu objetivo: saber identificar a desinência verbal e revisar os verbos.

Desinência Verbal: é o elemento que indica o número, a pessoa, o tempo e o modo da conjugação do verbo. Portanto, para entender esse assunto, você precisa saber os conceitos básicos de conjugação verbal.
A desinência verbal pode ser de dois tipos: número-pessoal (indica o número e a pessoa do verbo conjugado) e modo-temporal (indica o modo e o tempo do verbo conjugado).

Revisão de Verbos: número e pessoa (pule esse tópico se considerá-lo desnecessário)

Os verbos são conjugados de acordo com as pessoas do discurso. “Eu” é a primeira pessoa, “tu” é a segunda pessoa e “ele” é a terceira pessoa. Essas pessoas podem estar no singular (eu, tu, ele) ou então no plural (nós, vós, eles). Portanto, temos: primeira pessoa do singular (eu), primeira pessoa do plural (nós), segunda pessoa do singular (tu), segunda pessoa do plural (vós), terceira pessoa do singular (ele), terceira pessoa do plural (eles). 

Desinência Verbal Número-Pessoal: como foi dito antes, essa desinência indica somente o número (singular ou plural) e a pessoa (eu, tu ou ele) da conjugação de algum verbo. Ela não indica qual é o modo nem o tempo (pode ser futuro, presente ou pretérito).

Exemplo: A letra “o” ao final dos verbos indica que o verbo está conjugado na primeira pessoa do singular (eu): eu canto, eu parto, eu viajo, eu compro, eu vendo, etc. Portanto, essa letra “o” é uma desinência verbal número-pessoal (indica o número e a pessoa).
A letra “s” ao final dos verbos indica que o verbo está conjugado na segunda pessoa do singular (tu): tu cantas, tu partes, tu viajas, tu compras, tu vendes, etc. Nesses casos, a letra “s” é uma desinência verbal número-pessoal.
A desinência “mos” indica a conjugação na primeira pessoa do plural (nós): nós cantamos, nós partimos, nós viajamos, etc. A desinência “is” indica a conjugação na segunda pessoa do plural (vós): vós cantais, vós partis, vós viajais, etc. A desinência “m” indica a conjugação na terceira pessoa do plural (eles): eles cantam, eles vendem, etc.

Observação: a desinência número-pessoal não indica o tempo nem o modo que o verbo está conjugado.

Exemplo: vimos que a desinência “m” indica que o verbo está sendo conjugado na terceira pessoa do plural (eles cantam, eles viajam). Isso pode acontecer no tempo presente do modo indicativo (eles cantam) ou no futuro do pretérito do modo subjuntivo (eles cantariam). Ou seja: o “m” não indica o tempo nem o modo: só indica que o verbo está sendo conjugado por “eles”, indicando, assim, o número e a pessoa (terceira pessoa do plural).


Revisão de Verbos: Tempo e Modo (pule esse tópico se considerá-lo desnecessário)

Os verbos, além do número (singular ou plural) e da pessoa (eu, tu, ele), também podem variar quanto ao tempo ou quanto ao modo. O tempo pode determinar uma ação no futuro (cantarei), no presente (canto) ou no passado (cantei), sendo que o passado é chamado de “pretérito”. Já o modo indica o modo em que a ação verbal está sendo executada: pode ser uma ordem ou um pedido no modo imperativo (canta tu), pode ser uma dúvida (se eu cantar) ou então uma afirmação (eu canto).

Desinência Verbal Modo-Temporal: é a desinência verbal que indica o modo e o tempo da conjugação do verbo.

Exemplo1: o verbo CANTAVA está conjugado no pretérito imperfeito do modo indicativo e sabemos disso por causa do VA (desinência que existe nos verbos conjugados no pretérito imperfeito do modo indicativo). Portanto, o VA é uma desinência verbal que indica que o verbo CANTAR está conjugado no modo indicativo do pretérito imperfeito (CANTAVA). Entretanto, não é possível saber o número e a pessoa: “ele cantava” ou “eu cantava”?

Exemplo 2: “Se eu cantar” ou “se ele chegar: o “r” não indica o número e a pessoa (“eu” ou “ele”?), mas ele indica a conjugação do verbo no futuro do subjuntivo. Portanto, é uma desinência verbal modo-temporal.

Vogais e Consoantes de Ligação: são elementos que apenas ligam os morfemas entre si para facilitar a pronunciada palavra. 

Exemplo: gasômetro, pontiagudo, cafezinho,

REVISÃO (de tudo o que você viu até agora)

O radical é a parte da palavra responsável pelo seu significado. 
A vogal temática é aquela que aparece depois do radical (quando a palavra não varia quanto ao gênero masculino ou feminino).
O tema é a união do radical com a vogal temática.
Os afixos são elementos que se juntam aos radicais e podem ser prefixos (quando aparecem antes dos radicais) ou sufixos (quando aparecem depois dos radicais).
A desinência nominal de gênero existe para diferenciar uma palavra masculina da sua versão feminina (e vice-versa). Para tanto, a palavra precisa ter duas versões (“o cachorro” e “a cachorra”). Caso contrário (ex: “mesa” – não existe “meso”), não confunda com vogal temática (“mesa” – a letra “a” é vogal temática).
A desinência nominal de número indica se uma palavra está no plural ou no singular. Exemplo: pássaros (o “s” é a desinência que indica que a palavra está no plural). Cuidado que algumas palavras terminam em “s” sem estarem no plural (lápis, ônibus, pires). Nesses casos, o  “s” não é desinência de número.
A desinência verbal está presente nos verbos e indica o número e a pessoa que eles foram conjugados (desinência número-pessoal) ou então o modo e o tempo da conjugação (desinência modo-temporal).

As vogais e consoantes de ligação são elementos que apenas ligam os morfemas entre si para facilitar a pronunciada palavra.  Exemplo: gasômetro. 

Assunto anterior: Desinência Nominal

Nenhum comentário:

Postar um comentário