Gramática Online: Acentuação


Seu objetivo: estudar as regras de acentuação segundo a Nova Ortografia. 

Revisão de Sílabas Tônica

As palavras oxítonas são aquelas que possuem a última sílaba como a tônica.
As palavras paroxítonas são aquelas que possuem a penúltima sílaba como a tônica.
As palavras proparoxítonas são aquelas que possuem a antepenúltima sílaba como a tônica.

Regras de Acentuação

As regras de acentuação foram feitas para acentuarem o menor número possível de palavras sem causar confusão na pronúncia (tanto que apenas 20% das palavras da Língua Portuguesa são acentuadas). Essas regras se baseiam na quantidade de palavras oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas que existem, bem como as suas terminações.

A maior parte das palavras paroxítonas da Língua Portuguesa termina em A, E, O, EM (ou plurais: as, es, os, ens). Logo, para economizar acento (já que a maioria tem uma dessas terminações), não acentuamos as palavras paroxítonas terminadas em A(S), E(S), O(S), EM ou ENS. Portanto, para diferenciarmos as paroxítonas das oxítonas, nós devemos acentuar as palavras oxítonas terminadas em A(S), E(S), O(S), EM ou ENS.

Ou seja:

Oxítonas: são acentuadas se terminarem em A(S), E(S), O(S), EM ou ENS.
Exemplos: jacaré, você, armazéns, alguém, paletó, vovô, sofás, ninguém, etc.

Paroxítonas: não são acentuadas se terminarem em A(S), E(S), O(S), EM ou ENS.
Exemploshifens, polens, barata, dente, bolo, jovem.
Reforçando: se a palavra paroxítona tiver outra terminação, nós devemos acentuá-la: lápis, câncer, órgão, amável, hífen, álbum, pônei, colégio, vírus, bônus, táxi, revólver, pólen, túnel, bíceps, etc.

Outras regras: 

Proparoxítonas: todas são acentuadas, independentemente de suas terminações.
Exemplos: ônibus, lâmpada.

Monossílabos Tônicos: são acentuados se terminarem em A(S), E(S) ou O(S).
Exemplos: pá, pé, pós.

Ditongo Tônico: devemos acentuar os ditongos abertos (éi, éis, éu, éus, ói, óis) nas oxítonas ou nos monossílabos tônicos.
Exemplos: troféus, herói, céu, réu, dói.

Reforçando: caso o ditongo tônico não esteja na última sílaba da palavra, então não o acentuaremos. Exemplos: ideia, heroico, assembleia.

Ênclise e Mesóclise: nas ênclises e nas mesóclises (quando usamos o hífen com um pronome ao final do verbo ou no meio do verbo) nós devemos usar a regra de acentuação desconsiderando o pronome átono.
Exemplos: vendê-lo (“vendê” é uma palavra oxítona terminada em E e, portanto deve ser acentuada), parti-la (“partir” é uma palavra oxítona terminada em I e, portanto, não deve ser acentuada).

Hiato Tônico: devemos acentuar as vogais I e U se elas forem tônicas, se forem a segunda letra de um hiato (encontro de duas vogais em sílabas separadas) e se estiverem sozinhas na sílaba ou então acompanhadas da letra S.
Exemplos: saúde, faísca, saída.
Cuidado 1:  a vogal I não será acentuada se depois dela aparecer NH. Exemplo: moinho.
Cuidado 2: não acentuamos o hiato tônico se ele aparecer depois de um ditongo numa palavra paroxítona. Exemplo: feiura.
Pegadinha 1: juiz (a letra “i” é a segunda vogal do hiato “ui”, mas está acompanhada pela letra “z” e, portanto não é acentuada), juíza (a letra “i” é a segunda vogal do hiato “ui” e está sozinha na sílaba, então a palavra é acentuada). Outros exemplos: raiz e raízes.
Pegadinha 2: Piauí é uma palavra oxítona terminada com a letra I. Portanto, não podemos acentuá-la por causa da regra das oxítonas, porém a acentuamos por causa da regra do hiato (a letra “I” é tônica, é a segunda letra de um hiato e está sozinha na sílaba). Ou seja: se pelo menos uma regra de acentuação justificar o acento, então a palavra será acentuada.   

Acento Diferencial: usamos o acento diferencial para diferenciar algumas palavras que são escritas iguais em contextos diferentes. Vamos ver cada caso:
Verbo Ter: o verbo “ter” e seus derivados (deter, conter, etc) recebem o acento circunflexo para diferenciar a conjugação da 3ª pessoa do singular (ele) da 3ª pessoa do plural (eles). Exemplos: “ele tem” e “eles têm”, “ele detém” e “eles detém”, “ele contém” e “eles contêm”
Verbo Vir: o verbo “vir” e seus derivados recebem o acento diferencial pelo mesmo motivo do verbo “ter”. Exemplos: “ele vem” e “eles vêm”, “ele convém” e “eles convêm”.
Verbo Pôr: o verbo “pôr” recebe acento diferencial para diferenciá-lo da preposição “por”. Exemplos: “quero pôr (verbo) seu nome no trabalho”, “venha por (preposição) aqui”.
Verbo Poder: o verbo “poder” recebe acento diferencial para diferenciar a conjugação do pretérito perfeito do presente. Exemplos: “ele pôde jogar na semana passada (pretérito perfeito)” e “ele pode jogar agora (presente)”.
Substantivo Forma: o substantivo “forma” pode receber acento diferencial para distinguir seus dois significados. Exemplos: “ponha a massa dentro da fôrma” e “fez a escultura em forma de pássaro”. Nesse caso, o acento é facultativo (você pode usá-lo só se quiser).

Trema: o trema (os dois pontinhos colocados em cima da letra “u”) foi banido. Isso significa que nós devemos escrever “linguiça”, “tranquilo”, “aguentar” (veja que coisa horrível). Os poucos tremas que sobreviveram ao extermínio podem ser encontrado em nomes estrangeiros (ou derivados desses), como Müller ou Hübner, por exemplo.

Vogais Repetidas: não acentuamos vogais repetidas (não importa se isso ocorra com ditongos ou com hiatos).

Exemplos: voo, enjoo, leem, vadiice (sim, essa palavra existe). 

4 comentários:

  1. Show ! me ajudou muito, apesar de estar por extenso, ficou muito bem explicativo.

    ResponderExcluir
  2. Adorei as explicações, muito boas mesmo!

    ResponderExcluir