Gramática Online: Concordância Nominal



Seu objetivo: estudar os principais casos de concordância nominal.

Concordância Nominal: é a concordância estabelecida entre o substantivo e as palavras ligadas a ele (artigo, numeral, pronome, adjetivo).

Regra Geral: as palavras ligadas ao substantivo concordam em gênero (masculino e feminino) e número (plural e singular) com o ele.
Exemplo: Homem alto, homens altos, mulher alta, mulheres altas.

Vamos ver, agora, os principais casos de Concordância Nominal.

1) Substantivos antes do adjetivo

Quando dois ou mais substantivos aparecem antes de um adjetivo, nós podemos fazer a concordância de duas maneiras: podemos concordar por proximidade (concordar o adjetivo com o substantivo mais próximo) ou então podemos concordar no plural (plural masculino se pelo menos um dos substantivos for masculino).
Exemplo 1: Professora e professor dedicado (concordância por proximidade).
Exemplo 2: Professor e professora dedicada (concordância por proximidade).
Exemplo 3: Professora e professor dedicados (concordância no plural masculino, já que pelo menos um dos substantivos é masculino).
Exemplo 4: Professora e aluna dedicadas (concordância no plural feminino, já que todos os substantivos são femininos).
Reforçando: esse tipo de concordância é válido para dois, três ou mais substantivos.

2) Substantivos depois do adjetivo

Se os substantivos (dois ou mais) aparecerem depois do adjetivo, então o adjetivo vai concordar com o substantivo mais próximo.
Exemplo 1: O mendigo tinha longa barba e cabelo.
Exemplo 2: Comi uma saborosa gelatina e fruta.

Observação: Se o adjetivo estiver funcionando como predicativo, então ele também poderá concordar no plural.
Exemplo: É carismático o prefeito e a sua esposa ou são carismáticos o prefeito e a sua esposa.  

Antes que você pergunte: o predicativo ocorre quando usamos verbo de ligação (ou seja: verbos que expressam estado ao invés de ação, como os verbos “ser”, “continuar”, “estar”, “permanecer”, entre outros).

3) “Alerta” e “Menos”: são palavras invariáveis (sempre concordam com o substantivo sem se flexionarem em número ou gênero).
Exemplos: Ele está alerta, eles estão alerta, ele está com menos dinheiro, eles estão com menos dinheiro.

Observação: se “alerta” for uma palavra substantivada por algum artigo então ele se tornará um substantivo e, portanto, poderá ficar no plural. Exemplos: ele ouviu os alertas, ele ouviu uns alertas.

4) “Anexo”, “obrigado”, “incluso”, “quite”, “mesmo”, “próprio”, “todo”: essas palavras são variáveis (concordam com a palavra a quem se referem).
Exemplos: Os relatórios estão anexos, os relatórios estão inclusos, eles estão quites, a mulher disse “muito obrigada, a mulher falou com ela mesma, a mulher falou com ela própria, elas ficaram todas encharcadas com a chuva.

Observação: a expressão “em anexo” é invariável. Exemplo: os relatórios estão em anexo.

5) “Um e outro”, “nem um, nem outro”: depois dessas expressões o substantivo deve ficar no singular.
Exemplo: Um ou outro aluno se esqueceu de entregar o trabalho.

6) Verbo “ser”: os adjetivos só variam com o verbo “ser” se o sujeito estiver determinado por algum artigo.  
Exemplos: É proibido entrada de pessoas não autorizadas, é proibida a entrada de pessoas não autorizadas, maçã é bom, a maçã é boa, sua opinião é necessário, a sua opinião é necessária.

7) “Bastante”, “meio”, “caro”, “barato”: se estiverem funcionando como advérbio então eles serão invariáveis.
Exemplo 1: Eles estão bastante animados. Nesse caso, “bastante” está funcionando como advérbio de intensidade (eles estão muito animados) e, portanto, não varia (continua no singular).
Exemplo 2: Eles compraram bastantes coisas. Nesse caso, “bastantes” não está funcionando como advérbio, mas sim está funcionando como pronome indefinido (eles compraram várias coisas) e, portanto, varia (vai para o plural, concordado com “eles”).
Exemplo 3: Ela está meio triste. Nesse caso, “meio” está funcionando como advérbio (ela está um pouco triste) e, portanto, não varia (continua no masculino, sem concordar com “ela”).
Exemplo 4: Comprei meia melancia. Nesse caso, “meia” não está funcionando como advérbio. Portanto, a palavra varia (nesse caso, para concordar com “melancia”, devemos escrever “meia”).
Exemplo 5: Paguei caro pelos livros. Os livros não custam barato. Nesses casos, as palavras “caro” e “barato” estão funcionando como advérbios e, portanto, são invariáveis.
Exemplo 6: Os livros estão caros. Os livros não são baratos. Nesses casos, as palavras “caros” e “baratos” não funcionam como advérbios (funcionam como adjetivos) e, portanto, são palavras variáveis (vão para o plural para concordarem com “livros”).

8) “Só”: essa palavra será invariável quando tiver o mesmo significado de “somente”.
Exemplo 1: eles jogaram o lixo na lixeira. Nesse caso, “só” tem o mesmo sentido de “somente” e, por isso, é invariável.
Exemplo 2: Eles ficaram a sós. Nesse caso, “só” não tem o mesmo sentido de “somente” e, portanto, varia (para o plural para concordar com “eles”).

9) “Tal”, “qual”: “tal” concorda com o termo que aparece antes dele e “qual” concorda com o termo que aparece depois.
Exemplo: O filho é tal qual o pai, os filhos são tais qual o pai, os filhos são tais quais os primos.

10) “Possível”: é variável e concorda com o artigo.
Exemplos: A pior situação possível, as piores situações possíveis

2 comentários: