Gramática Online: Vírgula


Seu objetivo: aprender as principais regras do uso da vírgula.

Regra Geral: de modo geral, não usamos a vírgula quando a oração está na ordem direta (sujeito, verbo, complementos, adjuntos).
Exemplo: Nós compramos duas camisas na semana passada.

Trocando de Lugar: Se o termo “na semana passada” (um adjunto adverbial de tempo) for trocado de lugar, então a vírgula será usada para sinalizar essa troca.
Exemplos: Na semana passada, nós compramos duas camisas ou nós, na semana passada, compramos duas camisas.
Reforçando: usamos a vírgula para sinalizar que algum adjunto adverbial trocou de lugar, saindo de sua posição original na ordem direta.

Aposto e Vocativo: a vírgula também é usada para isolar o vocativo ou o aposto. Lembre que o vocativo é a expressão usada para nos referirmos a alguém, enquanto que o aposto é um tipo de explicação ou detalhamento adicional.
Exemplo com Vocativo: Mãe, eu comprei duas camisas ou eu comprei duas camisas, mãe.
Exemplo com Aposto: eu, um simples jovem de 23 anos, comprei duas camisas.

Enumeração: usamos a vírgula para separar elementos de mesma função sintática, como se nós estivéssemos as enumerando. Entre o último e o penúltimo elemento nós usamos a conjunção “e” ao invés da vírgula.
Exemplo: eu comprei duas camisas, duas calças, um óculos e um par de tênis.

Orações Coordenadas Assindéticas: se os elementos enumerados (caso anterior) forem orações coordenadas assindéticas (orações independentes sem elementos de ligação entre elas), nós também as separamos com vírgulas.
Exemplo 1: Eu acordei, me levantei da cama, tomei café, me arrumei e fui trabalhar.

Conjunções Adversativas ou Conclusivas: usamos vírgula antes de conjunções adversativas (mas, porém, todavia, contudo, entretanto) ou antes de locuções ou conjunções conclusivas (sendo assim, portanto, desse modo).   
Exemplo 1: Estudei muito, portanto espero me sair bem na prova.
Exemplo 2: Estudei muito, mas não fui bem na prova.

Conjunção “e”: usamos vírgula antes da conjunção “e” caso as orações envolvidas tenham sujeitos diferentes.
Exemplo Coreto: João tropeçou, e Maria escorregou. Nesse caso, a conjunção “e” liga orações com sujeitos diferentes (o sujeito da primeira oração é “João” e o sujeito da segunda oração é “Maria”).
Exemplo Errado: João tropeçou, e escorregou. Nesse caso, a conjunção “e” liga duas orações que possuem o mesmo sujeito (João). Logo, é errado usarmos a vírgula.

Não Separe o Verbo: não podemos separar o verbo de seu sujeito ou de seu complemento.
Exemplo Correto: Patrícia comprou um biscoito.
Exemplo Errado: Patrícia, comprou um biscoito ou Patrícia comprou, um biscoito.
Observação: o verbo pode se separar do seu complemento ou do seu sujeito caso algum termo seja intercalado. Exemplo: Patrícia, a filha do padeiro, comprou um biscoito.

Supressão do Verbo: usamos a vírgula (junto com o ponto e vírgula) quando omitimos um verbo para evitar a repetição dele.
Exemplo: Eu fui comprar sapatos; Ana, botas. Nesse caso, a vírgula depois de “Ana” foi usada para evitar a repetição do verbo “comprar”.

Data: usamos a vírgula nas datas.
Exemplo: São Paulo, 4 de janeiro de 2015. 

Um comentário: